Faça Uma Busca:
 
 



 
Home/História/Época Moderna
Época Moderna

 

A Guerra do Ópio, em 1840, constituiu um ponto de mudança para a história chinesa. Como a corte Qing era corrupta e incapaz, buscou algumas vezes a reconciliação com os agressores estrangeiros e terminou firmando com o Governo inglês o "Tratado de Nanjing", o qual humilhou a nação e fez perder sua soberania. Desde esse momento, a China caminhou na direção de uma sociedade semi-colonial e semi-feudal.

Depois da Guerra do Ópio, a Inglaterra, os Estados Unidos, a França, a Rússia, o Japão e outros países obrigaram o governo Qing a firmar tratados injustos, se apoderaram pela força de "concessões" e delimitaram "esferas de influência", realizando uma frenética repartição da China entre si. O povo chinês, para se opor à opressão feudal e à agressão externa, desencadeou lutas heróicas nas quais se revelaram numerosos heróis nacionais. Em 1851, Hong Xiuquan dirigiu a Revolução do Reino Celestial Taiping, o maior movimento revolucionário camponês na história da China. Em 1911, Sun Yatsen dirigiu uma revolução democrática burguesa que derrotou a dominação da dinastia Qing. Com isto, se acabou a monarquia, que havia durado mais de dois mil anos e se estabeleceu o Governo Provisório da República da China. A Revolução de 1911 foi um acontecimento de grande significado na história moderna do país. Entretanto, devido à conciliação e debilidade da burguesia, os resultados desta vitória foram aproveitados por Yuan Shikai, chefe dos caudilhos militares do Norte. O povo chinês continuava vivendo com grandes sofrimentos.



Artigos Rlacionados:

- Proteção dos objetos históricos


Voltar