Faça Uma Busca:
 
 



 
Home/Artes Gerais/Papel Recorte
Papel Recorte

 

Corte de papel é uma arte tradicional que evoluiu ao longo do curso do desenvolvimento da cultura chinesa. Sua origem deve ser estreitamente relacionada com a invenção do papel durante a dinastia Han (206 a.C. - 221 d.C.). Como o papel era altamente precioso naqueles tempos, a arte de cortar papel tornou-se popular primeiramente nos palácios reais e casas da nobreza como um passatempo favorito entre as senhoras da corte. Posteriormente, do século VII ao XIII, cortar papel era imensamente popular durante os festivais populares e celebrações. Pelo século XIV, a arte tinha se espalhado pelo Oriente Médio e Europa, e pelo século XV em diante, os trabalhos artísticos de corte de papel tinham se tornado uma parte integrante da vida cotidiana das pessoas. Porém, a arte do corte de papel estava à beira do desaparecimento durante o último século visto que a China antiga passava por sucessivos anos de desastre de guerra trazidos por tumultos domésticos e invasão estrangeira. Entre indeterminadas mudanças em suas vidas, a maioria das pessoas não tinha nenhum tempo de lazer para se empenharem no estudo da arte de corte de papel.

A República da China em Taiwan tem promovido ativamente o renascimento da cultura chinesa desde os anos oitenta. A arte de cortar papel recebeu muita atenção graças à pesada publicidade, resultando até em uma arte mais inovadora.

A influência do corte de papel na Europa e Ásia continental pode ser localizada no sétimo século. Migrou para o Japão e então para o Oriente Médio e Europa pela Rota da Seda, conduzindo assim ao desenvolvimento de muitos estilos diversos. Hoje, trabalhos em corte de papel de valiosos anciões são mantidos nos museus nacionais destes países.

A arte de cortar papel permaneceu imarcescível na China por anos principalmente porque seus devotos usaram as habilidades da faca e tesouras para dinamicamente descrever o esplêndido da cultura chinesa e dos festivais populares em todas suas facetas - de um modo muito mais interessante e agradável que é, se tornando mais precioso com a passagem do tempo.

Por exemplo, senhoras da antiga nobreza usavam freqüentemente cortes de papel para praticar sua arte durante seu lazer, enquanto chamadas sociais da população envolviam dar cortes de papel como presentes e usar cortes de papel como adornos bonitos e caprichosos com significado auspicioso. Subseqüentemente, emulação mútua e estudo minucioso conduziram a um nível soberbo de técnica. Através de recentes gerações, a arte de cortar papel percorreu desde padrões complicados usando um par minúsculo de tesouras até para realizar cortes em decorações de janela, confecções de roupas estêncil ou padrões de bordado para sapatos.

Como a arte foi passada pelas gerações, as técnicas populares desenvolveram muitas formas diversas, mas os temas permaneceram populares principalmente, com ilustrações bidimensionais como a forma primária. A técnica que eles exibem consiste de uma combinação de decoração com tesouras e escultura com facas. A retribuição de sua aparência visual envolve tais métodos como aplicação de múltiplas camadas coloridas, dobrando simetricamente, coladas individualmente ou exclusivamente gravadas. Estes diversificados métodos cortantes poderiam ser extremamente bonitos, mas a manifestação da beleza viva e sem igual da arte do corte em papel ainda depende do domínio artístico de cada artesão de corte em papel.

Falando de modo geral, a criação artística animada é extraordinária por causa do artista, tempo, lugar, ambiente e disposição. Reproduções esculpidas de cortes de papel para propósitos comerciais só podem permanecer ao nível de habilidades manuais.

Em anos recentes, a Sra. Linda Pu-fei Sun Yeh reavivou a tradicional arte do corte de papel chinês por seu estudo diligente e exclusivo estilo criativo. Como resultado de sua misteriosa habilidade de cortar, a arte sofreu uma metamorfose da ordinária habilidade manual popular para trabalhos de padrão cultural sofisticado. Cada uma das peças de arte é uma imagem animada, viva e fascinante que parece ser tridimensional. Ela já presidiu várias exibições pessoais em renomados museus e centros culturais em Taiwan e pelo mundo. A aclamação mundial lhe deu grande respeito e reconhecimento na arena da arte internacional.

Todavia, a Sra. Yeh sente que a arte de cortar papel pode buscar um desenvolvimento futuro nas seguintes direções que ela também pretende se empenhar. Primeiro, ela clama no público para harmonizar respeito pelo tradicional estilo clássico e elegante em lugar de reproduções de cortes e imitações com uma faca. Segundo, ela aconselha os artistas que capturem a sensação de ritmo na arte popular e explorem temas novos em lugar de se limitarem aos convencionais festivais populares chineses. Terceiro, ela tem esperança que a arte de cortar papel possa misturar o charme romântico da tradicional pintura chinesa, a delicadeza do bordado e a forma da escultura Ocidental a fim de criar uma sensação realista de imagem tridimensional e revitalizando e animando a forma da arte.

À parte disso tudo, engajar no domínio e no estudo do corte de papel cortar é uma recreação deliciosa que nutre a mente. Ela cultiva paciência e concentração entre pessoas jovens e diminui a solidão para os adultos de meia-idade e anciões. A arte de cortar papel também contribui para aproximar amizade entre sócios, resultando num compartilhamento de experiências e sabedoria. Como um exercício benéfico para os olhos e as mãos, esta arte decorativa é uma recreação que transcende limites de idade.

A sensação de realização ao dominar um par de tesouras, a sensação de ser enaltecido em ambos os reinos tradicionais e criativos e a satisfação de alcançar os altos ideais de verdade, beleza e bondade, enchem o coração de um artista com alegria indescritível.




Voltar