Faça Uma Busca:
 
 



 
Home/Artes Gerais/Escultura
Escultura

 

A escultura Chinesa se desenvolveu no trabalho em pedras, manifestou-se no século IV A.C., ao que se sabe. O relevo foi o primeiro processo tratado pelos escultores, e dele o mais freqüente foi o baixo-relevo, principalmente empregado no Hiao-t'ang-Chan, palácio da província de Xantum. Consta que foi decorado com as primeiras esculturas chinesas no século II A.C. O conjunto é de dez monólitos ornamentados de baixos-relevos, que representam episódios lendários e históricos. Sabe-se que estes baixos-relevos foram esculpidos pela técnica que consistia em ter-se a superfície das figuras no mesmo plano que o campo, cercando-as simplesmente com um contorno, em fundo, de arestas abatidas. São as formas arcaicas. Nelas os nomes dos ancestrais ficaram gravados.

As esculturas que merecem particular destaque são, no entanto, as dos templos rupestres, aproximadamente do século IV. Geralmente são assim divididas em: grotas de Yun-Kang, perto de Ta-t'ong, cuja construção foi ordenada por Wei, as de Long-men, perto de Ho-San-fei, as grotas de Kong-hien, as das grotas de Yun-Kang, de onde há um exemplar no Museu Cernuschi de Paris, com a figura do deus Bodhisativa, em estilo de Wei do Norte. Além destas obras, bem se assinalará o valor da Escultura Chinesa, antes da influência do Budismo, no grupo dos animais funerários que se colocavam na beirada dos túmulos imperiais. Representavam seres fantásticos, espécie de quimeras, como depois reapareceram nas catedrais góticas do século XIII.

Posteriormente, aparecem numerosas estátuas metálicas. Figuravam divindades decoradas de nimbos circulares. Além das esculturas de bronze, diversos templos rupestres conservaram estátuas talhadas na rocha viva. A silhueta é pouco acentuada, a figura se apresenta envolvida pela túnica pouco saliente nas formas, num planejamento seco, como as da Grécia arcaica.

Com o conhecimento de várias artes estrangeiras, entre os séculos V e VI, a Escultura Chinesa sofre fundas modificações. Sob a influência das pinturas do estilo gandariano aparece o que se chama estilo anguloso. Corpos longos, que se achatam sob o manto, as figuras têm rostos compridos, pálpebras baixas, parecem concentradas como se estivessem orando. Por fim, nas últimas obras, já possuem qualquer coisa da arte romana. Há nelas como um ar místico, de uma evocação espiritual. São as estátuas ditas da época Wei do Norte, do século V.




Voltar